Autor de ‘Milla’ é intimado a depor em processo movido por Netinho

0
174

Manno Góes, compositor de “Milla”, foi intimado pelo Tribunal de Justiça do Estado da Bahia a depor em processo que tramita na 06ª Vara dos Juizados Especiais de Causas Comuns. A ação é movida contra o músico pelo cantor Netinho, que alega “condutas abusivas, ilegais e desacauteladas.” A informação foi confirmada ao UOL pelo TJBA.

De acordo com o advogado Luiz Vasconcelos, que defende Netinho, o processo busca, através de uma decisão liminar, que Manno retire “toda e qualquer postagem em suas redes sociais que sejam alusivas ao cantor ou qualquer outra forma que ele possa ser identificado.” Além do pedido liminar, Vasconcelos ainda afirma que o compositor pode ser condenado ao pagamento de indenização por danos morais. O valor da ação é de R$ 40 mil. Procurado pela reportagem, Manno Góes ainda não se pronunciou sobre a intimação.

Relembre o caso A declaração mais recente de Manno relacionada a Netinho aconteceu no dia 2 de maio, após o cantor ter participado de uma manifestação pró-Bolsonaro na Avenida Paulista, em São Paulo. O compositor, integrante da banda Jammil e Uma Noites e autor de alguns dos maiores hits do carnaval baiano, tem protestado ativamente contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em seu Twitter, na época, ele chamou Netinho de “débil mental” por ter cantado “Milla” sem autorização.

Manno também entrou na Justiça para retirar os vídeos que a música aparece na manifestação do ar, além de ter aberto uma ação contra a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) por danos morais e materiais — ele pede um total de R$ 200 mil. Após determinação, ela apagou de suas redes sociais um vídeo com Netinho cantando “Milla” no ato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here